RELACIONAMENTO COM COMUNIDADES E REPARTIÇÃO DE BENEFÍCIOS

 

CaseUsodasociobiodiversidade

A Gestão de Relacionamento com comunidades fornecedoras de insumos da Biodiversidade está presente em toda trajetória profissional de Fernanda Ferraz, que atuou em projetos com comunidades ribeirinhas, rurais, indígenas e quilombolas.

A história da primeira regularização de acesso à biodiversidade brasileira envolvendo a Comunidade do Iratapuru-AP e a Natura Cosméticos integra o livro Biodiversidade: é para comer, vestir ou passar no cabelo?

Fernanda Ferraz é autora do artigo e personagem desta história.

http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/estante/estante_263467.shtml

 

 

PROGRAMA AMAZÔNIA

 

Fernanda Ferraz coordenou uma sequência de ações aplicada aos executivos da Natura, em 2009, que desejavam ampliar seu repertório para estruturar a estratégia de atuação da empresa na Amazônia. Numa primeira etapa, tiveram palestras sobre o tema com um grupo de especialistas na sede da Natura em Cajamar, região metropolitana de São Paulo.

Em seguida, viajaram à região para vivenciar, no campo, diferentes realidades amazônicas: a Amazônia desmatada, a que ainda está intacta, a urbana. Definiram, então, três frentes de atuação. A primeira, e mais óbvia, de aumentar a presença da Natura na região.

Como resultado, foi criado o Ecoparque, lançado pela Natura no início de 2014, que abriga a nova fábrica de sabonetes da empresa e pretende atrair parceiros, alavancar a demanda por insumos da sociobiodiversidade e o empreendedorismo local.

A segunda frente de atuação fomentou a criação de um núcleo de pesquisa, ciência e inovação na região.

A terceira frente promoveu o fortalecimento do ambiente institucional — algo crucial para que as duas outras frentes se tornem possíveis.

http://www.natura.com.br/sites/default/files/static/relatorioanual_en/pdf/relatorioanual2009.pdf